Um poema de Fernando Pessoa

Poema

Falas de Civilização

Falas de civilização, e de não dever ser,
Ou de não dever ser assim.
Dizes que todos sofrem, ou a maioria de todos
Com as cousas humanas postas desta maneira.
Dizes que se fossem diferentes, sofreriam menos.
Dizes que se fossem como tu queres, seria melhor.
Escuto sem te ouvir.
Para que te quereria ouvir?
Ouvindo-te nada ficaria sabendo.
Se as cousas fossem diferentes, seriam diferentes: eis tudo.
Se as cousas fossem como tu queres, seriam só como tu queres. Ai de ti e de todos que levam a vida
A querer inventar a máquina de fazer felicidade!

Fernando Pessoa (Alberto Caeiro) Obra Poética

Actividades

  1. Interagir a partir do poema como se fosse uma imagem, uma canção, um objeto qualquer, duma maneira natural.
  2. Caracterizar quem fala, e caracterizar a quem se fala.
  3. Imaginar um trabalho em pares dramatizando uma conversa entre os dois personagens.
  4. Listar os problemas que deram boas interações.
  5. Novo trabalho em pares.

Elementos

O fatalista (falso)
Joni
critico
cabelo comprido
carisma
fechado
sensivel
realista
opositor politico
humanista
pressimista
viajou muito
é antropologo
eremita
desiludido

O idealista
a luta de classe
presomptuoso
marxista
anticapitalista
pensa que é sabio
é diretor duma ONG
evoluir

Complementos

Questionário para seguir a reportagem

FERNANDO PESSOA

Escolha a frase, a palavra ou a expressão correta.

Trata-se de uma exposição :
plural como universo,
plural e diverso

A exposição tem o apoio do museu de :
São Paulo,
São Salvador,
Santa Catarina

Pretende mostrar Pessoa na sua :
pluralidade,
singularidade

Através de :
heterónimos,
homónimos,
escrita,
temas

Pessoa é um escritor para :
todos,
alguns

Pessoa tranmitia ideias :
complexas,
profundas,
simples

Era uma época de :
duplicidade,
universalidade,
euforia colectiva,
crise

Era um tempo de grandes :
transformações,
exposicões universais,
invenções sociais,
confusões

Crise de :
instituições,
pensamento,
identidade,
nobreza

Surgiram vários « ismos » :
impressionismo,
simbolismo,
saudosismo,
socialismo,
cubismo,
futurismo

A exposição dirige-se a :
todos os tipos de pessoas,
jovens,
especialistas,
jornalistas,

Podemos ver escritos de :
Fernando Pessoa,
Alberto Caeiro,
Álvaro de Campos,
Ricardo Reis,
António Mora

Tais como :
manuscritos,
poesias,
originais,
genéricos

Pessoa manisfestou-se através de diferentes formas :
lírica,
drama,
teatro,
narrativa

Que nos falam de :
fingimento,
racionalidade,
austeridade,
alteridade,
seriedade

Responda às seguintes perguntas

Quantos pseudónimos ? 60 - 70 - 90

Quantos heterónimos ? 3 - 13 - 23

Qual é o suporte habitual do poeta ?

Onde se pode ver a exposição ?